Publicado por: Diéfersom | 03/08/2010

Chrno Crusade – dois belos caminhos

Meus mangás de Chrno Crusade

Chrno Crusade sempre teve uma carga emocional muito grande na minha, pequena, vida de otaku. Um dos primeiros animes que eu assisti, juntamente com Onegai Teacher e Elfen Lied. Também foi uma das primeiras adaptações que conheci tanto em anime como mangá. Nos quadrinhos um pouco mais tardiamente.

Quando saíram as versões nacionais da obra não pensei duas vezes e comprei, porém, mantive uma velha prática: não releio as histórias. Por algum motivo inexplicável reler um mangá é tarefa quase impossível. Tenho medo de perder aquela imagem bela que a primeira impressão com a história causa. Como se emocionar da mesma forma já sabendo quais passos serão dados? Para mim já é difícil assistir um filme sabendo algum spoiller, eu fico esperando a bendita cena. Então, imagina reler algo que você conhece de cabo à rabo? Não poderia ter acontecido com outra obra: olhei para a estante de livros, ontem, encarei CC (Chrno Crusade) e decidi quebrar esse tabu pessoal.

Daisuke Moriyama começa Chrno Crusade em novembro de 1998 e tem como editora a Kadokawa Shoten, também responsável por Angelic Layer, X, Evangelion dentre outros. A primeira compilação de capítulos em formato Tankohon foi lançada em 1999. O mangá conta com oito volumes, sendo que o último foi lançado em 2004.

O anime começou em novembro de 2003 e terminou praticamente junto com o último tankohon. Essa informação é importante. Se a produção inteira do anime, que possui 24 episódios, coincidiu com a produção dos volumes a partir do número 6. Ou seja, o final do anime não pode ser feito baseado no mangá, porque ainda estava sendo produzido. Isso não é nenhuma novidade, não é? Afinal podemos pegar inúmeros exemplos disso, em especial nessas ‘últimas safras’ que não esperam o mangá ser devidamente finalizado para iniciar sua animação. Animes com elementos completamente diferentes, e as vezes contraditórios, em relação aos mangás podem ser encontrados aos montes. Aliás, o difícil é achar uma adaptação cem por cento fiel.

O anime é um pouco confuso e algumas informações essenciais ficam no limbo. É preciso captar muito bem as nuances para tentar chutar algumas das respostas. Mas a “resposta”, ao menos no meu círculo de conhecidos, ao anime é extremamente positiva. Praticamente impossível não grudar a atenção na história, nos personagens, nos sentimentos.

Quando percebi a existência de um mangá não esperava uma experiência tão diferente da que tive com o anime. Por intuição já imaginava que algumas coisas seriam melhor explicadas e aprofundadas. Qual a minha surpresa quando vejo que que a trama é muito mais profunda mesmo nos primeiros volumes! E que a trama ganha contornos diferentes logo nos primeiros volumes!

Mesmo que a primeira metade do anime seja um “resumo tosco” do mangá essa bifurcação existente na história acabou por me agradar. A coragem dos produtores do anime conseguiu dar traços interessantíssimos à trama já complexa do mangá, criando situações alternativas que encaixaram bem na trama. Um dos poucos bons exemplos de que me lembro para exemplificar o caso é a primeira série de Fullmetal Alchemist. Obviamente que o ideal é ter contato com as duas histórias, o mangá complementa muito bem o anime, como sempre.

Chrno Crusade é ousado. Por começar com uma fórmula que também me lembra FMA a história pode parecer um pouco mais rasa do que realmente é. A troca repentina entre uma cena totalmente dramática para outra descontraída impede que o clima da primeira metade da história fique pesado demais, dando apenas os fragmentos de história necessário para seguir adiante ao mesmo tempo que o leitor/espectador vai juntando os pedaços.

Uma garota faz um pacto com um demônio e entra numa ordem religiosa a fim de buscar seu irmão, raptado por outro demônio. A mistura Ordem Religiosa, poderio militar, demônios, ocultismo e etc. sempre é um tema interessante. Dá pano prá manga. Mas Chrno Crusade trata tudo isso de uma forma inusitada… mesmo que a protagonista Rosette Christopher seja uma freira, praticamente nenhuma das atitudes dela é condizente com seu hábito. Aliás, a forma como Miriyama retrata a Ordem de Magdala, militarizando-a e tornando uma espécie de Instituição para assuntos sobrenaturais já é algo diferente.

A própria política interna do Pandemônio, “mundo dos demônios”, é algo interessantíssimo. Aqui entra o conflito entre anime e mangá. Naquele fica mais explicita essa relação política entre demônios e mundo dos humanos, até mesmo Céu. Neste as contradições internas dentro do Pandemônio assumem a primeira importância. Os objetivos de Aion são diferentes nas duas obras por causa disso. O papel de Rosette também é completamente diferente entre a animação e o mangá. É engraçado como um mangá sobre freiras, ordens religiosas, demônios refere-se tão pouco à figura de Deus. O anime dá inclusive um espaço maior para ele.

Essas diferenças fazem com que ambas as obras tenham suas próprias reflexões e experiências. Chrno Crusade observado mais atentamente consegue trabalhar temas complexos sem que isso seja pesado. Ou seja, a profundidade dos questionamentos e das respostas a partir da obra depende do espectador. Claro, os clichês, os clássicos, estão presentes em cada um dos capítulos. Na realidade a amizade, a esperança, a força de vontade, a inspiração surgem com uma força ímpar se comparada às outras temáticas, mas o quadro formado por essas diferentes ‘tonalidades’ faz com que Chrno Crusade se torne um drama único.

Anúncios

Responses

  1. onde vc comprou os mangas?
    eu não acho em lugar nenhum!

    • Yuuki, eu comprei na época que saiu nas bancas mesmo, faz alguuuuns anos.
      Mas hoje é possível achar em sites especializados. Como moro no Rio Grande do Sul, aqui temos a http://www.lojajambo.com
      Em São Paulo deve ter a comixbookshop.
      Não é uma série difícil de achar por não ser tããão famosa assim.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: